Em 1983, Raul Seixas foi novamente sucesso em todo o Brasil. Convidado pela Rede Globo para participar do especial infantil Plunct, Plact, Zuum, ele compôs a música Carimbador Maluco, que logo ganhou as rádios do país e virou febre entre o grande público.

O sucesso veio logo após o LP Raul Seixas, gravado pelo Estúdio Eldorado, e exigiu um grande retrabalho à gravadora para ser incluído às pressas nas tiragens posteriores do álbum. O esforço, contudo, valeu a pena e rendeu um disco de ouro ao roqueiro, graças aos sucessos nas vendas.

Alguns fãs estranharam a postura de Raulzito ao vê-lo fantasiado e dançando entre criancinhas na Rede Globo de Televisão. Teria o grande anarquista se vendido ao Monstro Sist? No especial infantil, o Carimbador Maluco é um burocrata que impede a nave Plunct, Plact, Zuum de decolar por falta de documentos.

Entretanto, a letra da música vai muito além disso. A canção foi inspirada em um dos célebres textos do filósofo Pierre-Joseph Proundhon, considerado um dos mais influentes pensadores anarquistas e autor da frase: “Aquele que botar as mão sobre mim, para me governar, é um usurpador, um tirano. Eu o declaro meu inimigo”.

Carimbador Maluco faz referências claras ao texto Ser Governado, de Proundhon. Ou seja, Raul Seixas simplesmente levou uma mensagem anarquista às crianças na maior e mais poderosa rede de televisão do país.

Confira um trecho do pensamento de Proundhon:

Ser governado é ser guardado à vista, inspecionado, espionado, dirigido, legislado, regulamentado, parqueado, endoutrinado, predicado, controlado, calculado, apreciado, censurado, comandado, por seres que não têm o título, nem a ciência, nem a virtude (…).

Ser governado é ser, a cada operação, a cada transação, a cada movimento, notado, registrado, recenseado, tarifado, selado, medido, cotado, avaliado, patentiado, licenciado, autorizado, rotulado, admoestado, impedido, reformado, reenviado, corrigido. (…)